Avaliação das alterações cefalométricas

Cefalometria para site

O presente estudo teve o objetivo de avaliar as alterações cefalométricas do tratamento da maloclusão Classe II, por retrusão mandibular, em inpíduos de ambos os gêneros durante a fase de crescimento, utilizando o Aparelho de Protração Mandibular Tipo 4. A amostra constituiu-se de 24 inpíduos sendo 15 do gênero feminino e 9 do gênero masculino, com idade média de 13 anos e 5 meses ao inicio do tratamento onde o período médio de tratamento foi de 2 anos e 5 meses juntamente com aparelho fixo. Utilizou-se duas teleradiografias, em norma lateral de cada inpíduo, obtidas ao início e ao final do tratamento para a comparação das alterações cefalométricas. Da análise dos resultados verificou-se uma redução da protrusão maxila (SNA) de 82,1o para 81,8o (p=0,5180). Observou-se um aumento significante no comprimento efetivo da mandíbula (Co-Gn) de 112,5mm para 119,8mm (p<0,0001), bem como uma protrusão da mesma (PNperp) de -4,5mm para -2,9mm (p=0.0470). Houve uma melhora significante na relação sagital maxilomandibular e no perfil esquelético de 5,40 para 3,90 e de 6,0o para 1,9o (p=0,0007; p<0,0001) espectivamente (ANB – WITS). Deste modo concluiu-se que a terapia empregada foi efetiva no tratamento da maloclusão, apresentando resultados satisfatórios.


Arquivado em: Ortodontia

Top